14 novembro 2012

Invenções diabólicas

Normalmente os livros da “ciência horrível” têm sempre um lado hilariante, apesar de misturar a ciência, acaba por nos “prender”, daí a minha escolhi ter recaído sobre este livro.
O início do livro mostra isso mesmo, começando por deixar no ar ideias de “novas engenhocas” como faróis para cavalos, chinelos falantes ou até mesmo uma máquina de roer unhas.
Ao longo da obra são-nos dadas “lições” de um “curso de formação para inventores da ciência horrível”. No fundo são dicas do que devemos fazer para nos tornarmos num “cientista horrível”.
Entre estas lições vão sendo relatas experiências e vão juntando um pouco de ironia ao deixar notas para o leitor, como por exemplo na experiência do fantástico homem borracha: “ALERTA PARA O LEITOR MOLE! Esta história é muito, muito triste e poderás ficar com o coração amolecido (…) NÃO assoes o teu nariz a este livro, pois este NÃO é de borracha e não pode ser limpo!”.
Basicamente o livro resume-se a isto, entre experiências e invenções mirabolantes, não “desfazendo” a expectativa que os livros da “ciência horrível” criam.


Stephanie Fernandes
            Nº 25 11ºD

Sem comentários: