29 maio 2011

Uma Chave Secreta Para o Universo, por Pedro Antunes

Uma Chave Secreta Para o Universo


Para ser sincero, quando o Professor nos propôs ler um livro, fiquei um bocado preocupado, porque não estou muito habituado a ler, não por não gostar mas por ter muito pouco tempo livre.
Mas quando comecei a ler o livro, bastou-me ler as primeiras páginas para que me começasse a sentir motivado, começou-me a dar prazer ler o livro, e para quem não está muito habituado a ler, consegui fazer um milagre, li o livro em duas tardes e meia. Deve ter sido dos primeiros livros que posso dizer que gostei realmente.
A história é muito interessante, e de um modo não muito difícil, nem muito científico consegue falar do Universo duma maneira que, pessoalmente, me cativou. O que mais me ficou na cabeça, foi nos apontamentos do Eric, quando ele fala sobre Buracos Negros, onde por tópicos, explica o que é um buraco negro, como são criados, como podem ser vistos, como cair dentro e como sair de um. As informações que ao longo do livro vão aparecendo também vão complementando de uma forma mais científica o que se vai passando ao longo do livro.
O George, ao longo do livro, mostrou ser um menino muito corajoso, e mesmo com os seus pais a não o deixarem ter um computador, ele arranjou maneira de fazer uma grande palestra e conseguir ganhar o grande prémio, um computador. Pessoalmente não sei se conseguia viver nas condições dele, isto é, à luz das velas, sem televisão, sem computador, etc., e ao mesmo tempo passar pelo que ele passou na escola por não ter esses bens materiais.
Na minha opinião, o Dr. Graham Reeper, mostra um ponto importante da nossa sociedade, ou seja os cientistas podem usar as suas descobertas para o bem (como no caso do Eric), ou para o mal (como o Reeper), o que, infelizmente, também acontece na nossa sociedade.
Reparei que no fim do livro diz que é o fim do primeiro volume da Trilogia, e estou curioso para seguir os outros dois volumes.
Gostei muito do livro, e recomendo-o vivamente, e foi um livro que possivelmente mudou o meu gosto pela leitura.

Sem comentários: